Força ou fracasso !

“E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada” – Lucas 10:42.
Deus não é um Deus impositivo como muitos pensam. Pelo contrário, Ele é um Deus de propostas!

O ato de “propor” divino automaticamente ativa o ato de “escolher” do indivíduo, e isso é algo que sempre Deus coloca diante das pessoas e as mesmas decidem sobre o que lançarão mão.

Por exemplo, em Deuteronômio 28 observamos Deus colocando diante do povo as bênçãos e as maldições e dizendo: Vocês estão livres para escolher o que desejam! Obviamente a escolha redundaria em colher os frutos da mesma. Se escolher benção, colherá benção. Se escolher maldição, colherá maldição…

De igual modo, no capítulo 10 de Lucas, Jesus nos chama atenção para dois tipos de pessoas que claramente refletem suas escolhas.

Diz o texto:

“E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa; E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra”. (v.38/39)

Assim, é possível notar algumas particularidades neste texto:

Para início de conversa, foi Marta quem hospedou o Senhor Jesus, porém Maria estava dando atenção ao Mestre e ouvindo-Lhe os ensinamentos. Isso ocorreu de forma muito visível, pois diz o versículo 40… “Marta, porém, andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude”.

Jesus, não deixando se envolver com o conflitante coração de Marta, possivelmente com voz meiga, lhe disse: “Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada. (v.v41/42).

Interessante não! Não foi Marta que havia hospedado ao Senhor, conforme visto acima?

Sim! De fato, ela hospedou ao Senhor, e achou que já tinha o direito de “dar ordens” em Jesus. Como é complicado quando a pessoa acha que pode mandar em Deus, ao invés de se aquietar em Seus braços.

Marta optou por uma escolha caracterizando o perfil de uma pessoa que amava as coisas e usava as pessoas. Que triste, pois isso gerou agitação e ansiedade à ela própria.

Será que o conflito maior dentro em nós muitas vezes não é dessa natureza?

Será que no versículo 41, onde Jesus diz: “Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária”…não caberia igualmente a nós?

Devemos amar a Deus sobre todas as coisas; amar as pessoas e usar as coisas. Quando se estabelece uma inversão nesta ordem, ou seja, quando amamos as coisas e queremos usar as pessoas, seremos tendenciosos como Marta.

Certamente inúmeros problemas terão guarida em nossas vidas. Não é este o motivo de tantos conflitos em todos os seguimentos da sociedade?

As nossas escolhas, refletirão nossa força ou nossos fracassos.

——————————

por Vilson Ferro Martins – www.vozdotrono.com.br

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail