Infidelidade, problema na certa!

“O que adultera com uma mulher está fora de si; só mesmo quem quer arruinar-se é que pratica tal cousa”
Pv 6.32
A infidelidade conjugal é uma triste marca de nossa decadente sociedade. Tem sido aplaudida como um avanço e uma conquista em vez de ser considerada um fracasso do casamento. As telenovelas estimulam a traição e promovem o adultério. Os sites pornográficos induzem à prática de todo tipo de perversão moral. Na verdade, estamos assistindo não apenas uma tolerância ao erro, mas uma inversão de valores. Aplaude-se o que se deveria reprovar e reprova-se o que se deveria promover.

O que se esconde propositadamente das pessoas é o alto preço que os infiéis precisam pagar. O texto acima diz que o adultério é uma espécie de loucura. Só uma pessoa fora de si comete adultério. A segunda coisa que o texto diz é que o adultério é a estrada da destruição. O adúltero destrói seu nome, sua honra, sua paz, sua família, sua alma. O adúltero não apenas se destrói, mas, também, promove destruição à sua volta.

Quantos casamentos arruinados! Quantos lares destruídos! Quantos cônjuges apunhalados pelas costas! Quantos filhos envergonhados! Quanta dor, quanta lágrima, quantos cacos espalhados pelo chão! Os adúlteros não apenas promovem desastres nesta vida, mas também são privados da vida porvir, a não ser que se arrependam. Os adúlteros não herdarão o reino de Deus.

Referência para leitura: Provérbios 5.1-23

Fonte: Igreja Presbiteriana do Brasil

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail