Joio e Trigo

“Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro” – Mateus 13:30.
Esta interessante parábola citada por Jesus(Mateus 13:24-30), nos é também “interpretada” pelo próprio Senhor (Mateus 13:36-43). Logo, aprendemos que todas Suas parábolas têm ensino muito significante. E, neste caso, com a interpretação do próprio Mestre, fica evidente que trigo e joio continuarão juntos até a consumação do mundo. (v.40).

Mas, alguns fatos mais, ainda podemos aprender…

O termo no grego é “cizânia”. Os botânicos conhecem o joio como “LOLIUM TEMULENTUM”, também chamado de “falso trigo” ou “trigo bastardo”. Interessante notar que somente os “filhos” herdarão o Reino dos céus. (João 1:12).

Segundo os entendidos – e a leitura bíblica deixa transparecer isso – não se consegue distinguir o joio do trigo, até que apareçam os frutos. O joio apresenta uma perfeita imitação do trigo, mas, quando ocorre a frutificação, então é que fica evidente sua natureza.
Mais uma vez a Palavra nos admoesta dizendo: “Porque não há boa árvore que dê mau fruto, nem má árvore que dê bom fruto. Porque cada árvore se conhece pelo seu próprio fruto; pois não se colhem figos dos espinheiros, nem se vindimam uvas dos abrolhos”. (Lucas 6:43-44).

Em razão do que foi dito acima, o “Dono do campo” diz: “Deixai crescer ambos juntos até a ceifa”.

Podemos propor algumas razões para que somente no tempo da ceifa (que é a consumação do mundo) seja de fato separado o joio do trigo:
1). Quando há duas plantas muito juntas, suas raízes ficam entrelaçadas, portanto, ao arrancar a planta daninha, pode-se cometer o erro de arrancar a boa. O Senhor achou por bem não cometer esse erro, afinal, joio e trigo estão se desenvolvendo juntos!

Mas, na consumação do mundo não será de fato arrancado?
2). SIM, mas, o trigo já estará na frutificação. O fruto quando já se encontra totalmente maduro não precisa mais das raízes para alimentá-lo, pois, ele se torna alimento.

3). Somente os ceifeiros – que a Palavra afirma ser os anjos do Senhor – (v.41) é que possuirão o critério apropriado para identificar o joio e o trigo. Portanto, ainda que tenhamos discernimento sobre muitos casos, jamais teremos o pleno conhecimento sobre um ou outro. É somente os anjos do Senhor que farão essa separação.

Bem, ainda há muito que poderia ser dito, entretanto, quero encerrar citando um dos textos que em minha humilde opinião deixa bem a luz como se processa a ação enganosa do joio em meio ao trigo, no campo, que o próprio Jesus definiu como o mundo. Encontra-se em 2 Coríntios 11:13-15: “Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras”.

Portanto, enquanto a consumação do mundo não chegar, joio e trigo fazem parte desse campo, quer queiramos ou não!

por Vilson Ferro Martins – www.vozdotrono.com.br

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail