Maneira de viver!

“Porque, que aproveita ao homem granjear o mundo todo, perdendo-se ou prejudicando-se a si mesmo?”- Lucas 9:25,
Qual é o objetivo maior de nossa vida?

A pergunta parece um tanto estranha, mas é pertinente, pois dependendo das circunstâncias e dos acontecimentos, temos por vezes tomadas de atitudes inesperadas e que não condizem com a nossa chamada “vida cristã”.

Como o cristão deve reagir diante de acontecimentos inesperados ou mesmo diante de infortúnios?

Antes de continuarmos, é bom lembrar que a medida em que nos tornamos cristãos cortamos o vínculo com um imperador que nos subjugava, sendo-nos transposto do império das trevas para o reino da luz do amor de Deus, portanto, agora ao invés de servirmos a um imperador, servimos ao Rei dos reis.

Isso significa que em nossa vida, as prioridades devem ser outras, pois, o Rei exigirá mudanças em todas as dimensões, como objetivos, prioridades, relacionamentos, maneira de se comportar, e muitas outras coisas.

Também significa que os atalhos jamais poderão ser utilizados. O importante é se manter no Caminho, mesmo que isso signifique não entender o que está acontecendo no momento, todavia, percorre-se um bom período, apenas apegado a fé.

Eu sei que você tem se questionado a respeito de que um período de sua vida, parece que nada dá certo e que em momentos de intensa luta, você tenha que opinar entre continuar sendo fiel, ou “dar o jeitinho”. Isso aconteceu com nosso mestre Jesus. Ele chegou num momento crucial de Sua vida, quando ou enfrentava a morte e o calvário, ou poderia barganhar com o inimigo e sair – aparentemente – ileso.

Diante dessa visão, onde dois caminhos estavam diante dEle, Ele preferiu dizer ao Pai, que cumprisse a Sua vontade.

Somos tão audaciosos para tanta coisa, e as vezes temos tanto impulso para fazer coisas que nem redundam em poder e graça, por que então não somos tão audaciosos para dizer ao Pai, que se cumpra a Sua vontade, independente de qual seja, ou da forma como ela se manifestará em nossas vidas?

Podemos tomar o caminho mais fácil e largo – e não estou falando aqui de salvação – mas do nosso dia-a-dia, onde temos que tomar decisões e posicionamentos com nosso filho, nossa filha, nosso cônjuge, nosso chefe, nosso professor, nosso patrão, nosso empregado…etc. Ou vivemos para a glória do Senhor; ou vivemos para os nossos objetivos, prazer e conforto.

Vivemos para nós mesmos ou para Deus?

Quem deseja preservar sua vida, vai perdê-la. Quem perder a sua vida, vai ganhar vida real, abundante e eterna.

“Na vossa paciência possuí as vossas almas”- (Lucas 21-19).

por Vilson Ferro Martins – www.vozdotrono.com.br

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail