…bem-aventurados são os que ouvem a palavra de Deus e a guardam!

“Uma mulher, que estava entre a multidão, exclamou e disse-lhe: Bem-aventurada aquela que te concebeu, e os seios que te amamentaram! Ele, porém, respondeu: Antes, bem-aventurados são os que ouvem a palavra de Deus e a guardam!” (Lucas 11.27,28)

Alguns imaginam, com bastante confiança, que ter sido a mãe de nosso Senhor envolveu privilégios especiais. Eles supõem que Maria teve o privilégio de olhar para o próprio coração dele de um modo que não podemos esperar que o faremos. Pode haver uma aparência de verdade nesta suposição, mas não muita. Não sabemos o que a mãe de nosso Senhor sabia mais do que as outras pessoas. O que ela sabia, fez bem em guardar no coração, mas, de tudo o que lemos nos evangelhos, não parece que ela foi uma crente mais instruída do que qualquer outro dos discípulos do Senhor.

Tudo o que ela sabia, também podemos saber. Você se admira de que possamos dizer isso? Eis um versículo para prová-lo: “A intimidade do SENHOR é para os que o temem, aos quais ele dará a conhecer a sua aliança” (Salmos 25.14). Lembre as palavras de nosso Senhor: “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer” (João 15.15).

O divino Revelador dos segredos nos revela o seu coração, e não esconde nada do que é proveitoso para nós. “Se assim não fora, eu vo-lo teria dito” (João 14.2). Ele não se manifesta para nós, nos dias de hoje, como não o faz ao mundo? Portanto, não exclamaremos por ignorância: “Bem-aventurada aquela que te concebeu”. Em vez disso, bendiremos inteligentemente a Deus, porque, tendo ouvido e guardado a Palavra de dele, temos verdadeira familiaridade com os segredos do coração do Senhor, assim como Maria, que muitos supõem ter obtido esses segredos. Quão felizes são aqueles que têm este privilégio!

Por: Charles Spurgeon.
Fonte: Voltemos ao Evangelho

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail