“Ele se manterá firme e apascentará o povo na força do SENHOR.” (Miquéias 5.4)

O reino de Cristo na sua igreja é o de um Pastor-Rei. Ele tem supremacia, mas esta se assemelha à superioridade de um Pastor sábio e gentil sobre o seu rebanho necessitado e amável. Cristo ordena e é obedecido espontaneamente pelas bem cuidadas ovelhas, as quais obedecem o amado Pastor com alegria e reconhecem bem a sua voz.

Ele governa pela força do amor e pelo poder da bondade. Seu reinado é prático em caráter. É dito: “Ele se manterá firme e apascentará.” O grande Cabeça da igreja está engajado ativamente em prover as necessidades de seu povo. Ele não permanece assentado no trono, em um estado de quietude, nem segura o cetro sem utilizá-lo no exercício de seu governo. Não, o Senhor se levanta e apascenta as suas ovelhas.

O vocábulo apascentar significa, no original, pastorear, ou seja, fazer tudo o que se espera de um pastor: guiar, vigiar, restaurar, preservar, tomar conta e alimentar. O versículo nos diz: “Ele se manterá firme e apascentará”. O profeta não disse: “Ele apascentará de vez em quando e deixará a sua posição”, nem: “Num dia Ele nos dará um avivamento e no dia seguinte deixará sua igreja entregue à esterilidade”. Os olhos de Cristo nunca cochilam, e suas mãos jamais descansam.

Seu coração nunca cessa de bater com amor, e seus ombros jamais se cansam de levar os fardos de seu povo. Seu reinado é completamente poderoso em ação. Ele se alimenta da força de Jeová. Onde quer que Cristo esteja, ali está Deus. E tudo o que Cristo faz é um ato do Altíssimo.

Esta é uma verdade repleta de alegria: Aquele que permanece hoje representando os interesses de seu povo é o Deus perante quem todo joelho se dobrará. Somos felizes por pertencermos a este Pastor cuja humanidade se comunica conosco, e cuja divindade nos protege. Adoremo-Lo e prostremo-nos diante dele, como “povo do seu pasto” (Salmos 95.7).

Por: Charles Spurgeon
Fonte: Voltemos ao Evangelho

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail