Te telestai!

“E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito” – João 19:30.
Bem, segundo consta a história, o príncipe Pedro de Alcântara no dia 7 de setembro, em cena famosa às margens do Riacho Ipiranga, declarou a independência do Brasil, pondo fim aos 322 anos do domínio colonial exercido por Portugal. A famosa frase “Independência ou morte” foi a marca decisiva desse importante acontecimento que mudaria para sempre a história do Brasil. O Brasil deixava de ser “colônia” de Portugal, conquistando assim sua independência. As narrativas informam que o fato se deu as margens do Riacho Ipiranga.

Este ato mudou a vida de uma nação, mas, quero falar de outra pessoa, de sua atitude e do alcance que ela proporcionou.

Trata-se do príncipe da vida Jesus Cristo de Nazaré. Ele não estava próximo as margens de um riacho, mas, num monte chamado Gólgota. Não se encontrava montado em um cavalo, mas, pregado em uma cruz. Ele não estava declarando a independência apenas de um país, povo, nação ou tribo, mas, a independência do homem em relação ao pecado e morte eterna. Ele estava declarando toda humanidade livre do império das trevas. Ele estava definitivamente mudando a história da humanidade em Antes de Cristo e Depois de Cristo.

O príncipe Pedro montado em seu cavalo disse: “Independência ou morte”. Jesus, pregado na cruz disse: “Te Telestai” – “Está consumado” ou “TOTALMENTE PAGO”. Lá estava ele sangrando na cruz, mesmo assim, pagando a dívida que era contra nós. (Colossenses 2:14).

Assim, os brasileiros são livres por causa da proclamação da independência do príncipe Pedro, tal como toda pessoa sobre a face da terra que aceita a proclamação do príncipe da vida Jesus, é livre da morte e do pecado eternamente.

Portanto, tanto num Brasi l livre como em todas as nações “livres” há os que AINDA se encontram “presos” pelo império do pecado; enquanto que muitos em nações “dominadas” por homens cruéis e desumanos, JÁ são livres em Jesus Cristo porque se submeteram a Sua proclamação de independência.

Jesus bem poderia ter dito: Independência do pecado ou Morte eterna! Mas, disse: Está consumado! Deixando que cada um decida por si mesmo – de modo pessoal – sobre sua independência (ou morte) eterna!

“Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” – João 8:36.

Pr. Vilson Ferro Martins – Também pode ser lida em www.vozdotrono.com.br

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail