Viúvas, mas não desamparadas!

“Pai de órfãos e juiz de viúvas é Deus, no seu lugar santo” – Salmos 68:5.
Se há uma classe de pessoas que é não muito lembrada, são as viúvas, tanto que a Palavra afirma que Deus é Pai de órfãos e juiz de viúvas é Deus, no seu lugar santo.

Do ponto de vista social os órfãos e viúvas são classes de pessoas geralmente desamparadas, mas, do ponto de vista divino, eles estão em alta consideração, principalmente as viúvas (verdadeiramente viúvas), e isso é evidenciado logo no início da Igreja.

Homens cheios do Espírito Santo, receberam a imposição de mãos, não para liderarem um grupo familiar, ou ministrar a Palavra; ou assumir ministério de música e adoração ou qualquer outro disputado ministério. Não! Mas, receberam a imposição de mãos para servirem as mesas das viúvas.

“ORA, naqueles dias, crescendo o número dos discípulos, houve uma murmuração dos gregos contra os hebreus, porque as suas viúvas eram desprezadas no ministério cotidiano. E os doze, convocando a multidão dos discípulos, disseram: Não é razoável que nós deixemos a palavra de Deus e sirvamos às mesas. Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio…[] E os apresentaram ante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos” – (Atos 6:1-3,6).

Quem era mais importante? Quem servia ou quem era servido?

Aprendemos que a Igreja jamais deve ignorar essas pessoas em seu seio.

Aprendemos que Deus ungiu pessoas cheias do Espírito Santo para esse propósito, então, Ele não procura pessoas com habilidades especiais, psicólogas ou sociólogas ou mesmo assistente sociais para tal tarefa, mas, pessoas fieis, sejam ou não tais profissionais.

Aprendemos que de Sua santa morada, Seus olhos estão atentos a essas pessoas e jamais os desamparará! Amém!

Por Pr. Vilson Ferro Martins
Fonte: www.vozdotrono.com.br

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail