Um empurrão nos outros

“…exortava a todos a que, com firmeza de coração, permanecessem no Senhor.”  (Atos 11:23)

Quando era adolescente, Mariana caminhava muitas vezes por um parque onde via as mães sentadas nos bancos, conversando. As crianças brincavam nas balanças, esperando que alguém as empurrasse. “Eu dava um empurrãozinho nelas”, disse Mariana. “E sabe o que acontece quando se empurra uma criança numa balança? Em breve ela está se movimentando sozinha. Este é o meu papel na vida — estou aqui para dar um empurrãozinho nos outros.”

Encorajar outros na vida: esse é um propósito digno de ser seguido. José, um homem piedoso mencionado no livro de Atos, também tinha esse dom. Nos dias da igreja primitiva, ele vendeu um campo que possuía e deu o dinheiro para que a igreja o usasse com os menos afortunados (4:36,37). Ele também viajou com Paulo em jornadas missionárias e pregou o evangelho (11:22-26; 13:1-4).

Talvez você conheça José como “Barnabé”, pois foi o nome que os apóstolos deram a este homem “encorajador” (4:36). Quando a igreja em Jerusalém ouviu que as pessoas na Antioquia tinham conhecido Jesus como Salvador, enviaram Barnabé “[porque] era homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé… (11:24). Ele “…exortava a todos a que, com firmeza de coração, permanecessem no Senhor” (v.23).

Nós também podemos dar um “empurrãozinho” de encorajamento nos outros, em sua caminhada com o Senhor.

Uma faísca de encorajamento pode resultar em grandes realizações.

— Anne Cetas

Fonte: Ministério Pão Diário

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail