O modelo do Natal para missões

Versículo do dia: Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. (João 17.18)

O Natal é um modelo para missões. Missões são um espelho do Natal. Como eu fiz, faça também [João 13.15].

Por exemplo, o perigo. Cristo veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Assim é com você. Eles conspiraram contra ele. Assim é com você. Ele não tinha casa permanente. Assim é com você. Inventaram falsas acusações contra ele. Assim é com você. Eles o chicotearam e zombaram dele. Assim é com você. Ele morreu após três anos de ministério. Assim é com você.

Mas há um perigo pior do que qualquer um desses do qual Jesus escapou. Assim é com você!

Em meados do século XVI, Francisco Xavier (1506-1552), um missionário católico, escreveu ao padre Perez de Malacca (hoje parte da Indonésia) sobre os perigos da sua missão na China. Ele disse:

O perigo de todos os perigos seria perder a confiança na misericórdia de Deus… Desconfiar dele seria algo muito mais terrível do que qualquer mal físico que todos os inimigos de Deus juntos pudessem nos infligir, pois sem a permissão de Deus nem os demônios nem seus servos humanos poderiam em um mínimo grau nos prejudicar.

O maior perigo que um missionário enfrenta é desconfiar da misericórdia de Deus. Se esse perigo for evitado, então todos os outros perigos perderão seu aguilhão.

Deus faz de cada espada, um cetro em nossas mãos. Como J.W. Alexander diz: “Cada instante do atual labor será graciosamente recompensado com um milhão de eras de glória”.

Cristo escapou do perigo da desconfiança. Por isso, Deus o exaltou sobremaneira!

Lembre-se neste Advento que o Natal é um modelo para as missões. Como eu fiz, faça também. E que essa missão implica perigo. E que o maior perigo é desconfiar da misericórdia de Deus. Renda-se a essa desconfiança e tudo está perdido. Vença aqui e nada pode prejudicá-lo por um milhão de eras.

Por: John Piper.
Fonte: Voltemos ao Evangelho

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail