O que é a oração?

A oração é derramar nossos corações a Deus em louvor, petição, confissão de pecado e ações de graças. “Confiai nele, ó povo, em todos os tempos; derramai perante ele o vosso coração. Deus é o nosso refúgio.” (Salmo 62:8)

Como os inimigos da alma são inveterados, sutis e poderosos, e nossa estrutura espiritual é inconstante, é bastante necessário que se viva sob contínua lembrança das considerações que nos despertam. O que é mais recomendável, o que é tão necessário, do que andarmos de forma digna; vigiando e orando, para não cairmos em tentação?

Um senso de nossa própria fraqueza e insuficiência sempre deve habitar em nossa mente e aparecer em nossa conduta. Como a corrupção da natureza é uma inimiga que sempre está por perto, e sempre em nós, enquanto estivermos sobre a terra; e como ela é fortemente propensa a atender a toda tentação de fora; vós deveis “guardar vosso coração com toda a diligência”. Vigiai, diligentemente vigiai, sobre todas as imaginações, gestos e tendências.

Considerai de onde surgem e para o que se inclinam, antes de executardes quaisquer propósitos nelas formados. Pois esse é o superlativo engano do coração humano: “É tolo aquele que nele confia”, ignorante do perigo e incauto quanto a seus melhores interesses. Tal consideração deve fazer com que todo filho de Deus curve os joelhos suplicantes, com maior frequência, humildade e fervor: para viver como se estivesse diante do trono da graça; não se afastar dali até que esteja fora do alcance do perigo.

É certo que, quanto mais vemos a força de nossos adversários e o perigo com que nos ameaçam, mais devemos nos exercitar em fervorosa oração. É possível que tu, ó cristão, permaneça frio e indiferente, inerte e descuidado, quando o mundo, a carne e o diabo são teus opositores implacáveis e incansáveis?

JOHN PIPER

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail