Se Adão e Eva eram perfeitos, por que eles escolheram pecar?

Essa é uma pergunta que alguns cristãos costumam fazer ao se deparar com a história da criação em Gênesis.

E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto. Gênesis 1:31

A Bíblia não diz claramente que Adão e Eva eram perfeitos, diz apenas que tudo o que Deus fez em relação a criação era “muito bom”. Por Deus ser perfeito, automaticamente pensamos que Adão e Eva possuiam perfeição semelhante a do Criador.

Livre Arbítrio

Talvez a palavra perfeito, seja equivocada ao utilizar em relação a Adão e Eva, Deus os criou como seres sem pecado, à Sua imagem, mas também com livre arbítrio. Sem esse componente crucial, nenhum humano teria escolhido amá-Lo.

Existir em um estado “temporáriamente” de perfeição não privou Adão e Eva do Livre Arbítrio.

Gênesis 3:4-5 nos diz que a serpente primeiramente modificou a Palavra de Deus, prometendo a Eva que, ao comer do fruto proibido, ela certamente não morreria. Em segundo lugar, ela seduziu com a promessa de conhecimento (conhecer o bem e o mal).

Pode-se dizer que Eva foi levada a acreditar que a serpente estava mostrando a ela um caminho “rápido” para se tornar como Deus.

Segundo Adão

É significativo que Jesus seja descrito como um segundo Adão (1 Cor 15, Romanos 5:14).

A implicação aqui, eu acho, sendo que, dada a oportunidade, Adão deu o tom para a humanidade escolhendo o pecado, e Cristo estabeleceu a justiça ao escolher a obediência – até mesmo uma obediência que o levou à morte.

Paulo prossegue explicando como a morte é encontrada na representação de Adão (isto é, escolher desobedecer a Deus e confiar no próprio entendimento; definir o próprio padrão moral), mas a vida é encontrada em Cristo (isto é, confiando na bondade de Deus e Suas provisões graciosas para o perdão).

Fonte: Bíblia comentada

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail