2 Livros para redescobrir o culto familiar e adorar

2 Livros para redescobrir o culto familiar e adorar

Furtadas de nossa liberdade de nos relacionarmos em locais públicos nos voltamos para dentro de nossas casas, lares cristãos. Em tempos que tudo que se fala (do que está cheio o coração: medo e ansiedade) e para onde nos viramos temos um emblema do vírus, o coronavírus, quero fazer um chamado para olharmos para o autor e consumador de nossa fé, porque afinal tudo é dele e para ele: Cristo.

A pandemia não surpreendeu nosso soberano Senhor, ele sabia desses tempos, Jesus nos instruiu sobre esses tempos em seu Sermão Profético que pode ser lido em Mateus 24, Marcos 13 e Lucas 21. Jesus encerra os trechos de um cada um desses capítulos com uma advertência a respeito da vigilância. Vamos ao texto de Mateus:

Pois assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do Homem. Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio comiam e bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, senão quando veio o dilúvio e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do Homem. Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor. Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que hora viria o ladrão, vigiaria e não deixaria que fosse arrombada a sua casa. Por isso, ficai também vós apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá. (Mateus 24.37-39, 42-44)

Ovelha, estamos vivendo esse momento de vigiar com diligência. Vamos conhecer 2 livretos que poderão ser de grande auxílio nas reuniões familiares de oração, culto, adoração e estudo bíblico. Nosso desejo é que a sua jornada de vigilância ganhe força e que se torne um hábito para que você e sua família cresçam em fé e santidade.

Serão duas postagens, cada uma delas com indicação de 2 livros, essa é a primeira delas, e você tem eBook gratuito aqui para começar essa semana mesmo o culto familiar.

Os Livretos são: Redescobrindo o Segredo do Culto Familiar, de Jerry Marcellino e Adoração no Lar, de Joel Beeke, ambos da Editora Fiel.

  1. Redescobrindo o Tesouro Perdido do Culto Familiar, de Jerry Marcellino, publicado pela Editora Fiel

Jerry Marcelino é pastor, diretor de uma editora, autor de vários livros e artigos teológicos.

Esse pequeno livro é uma exortação amorosa para reconduzir a família ao culto doméstico.

Já na introdução ele questiona como os cristãos dessa geração poderão ser aqueles que salgam. Ele responde a essa questão dizendo que temos que voltar às veredas antigas como disse o profeta Jeremias 6.16 e nos deixa uma citação de Jonathan Edwards:

“O conselho que tenho dado a líderes e famílias, como pastor deles: afadiguem-se em ensinar, aconselhar e orientar seus filhos; criem-nos na disciplina e na admoestação do Senhor; comecem cedo, quando ainda há oportunidade, e mantenham constante diligência em atividades desse tipo.”

Então, seguem-se 3 instrutivos capítulos. O capítulo 1 é um retorno ao passado, o autor percorre o passado mostrando como o culto doméstico foi importante para preservação do cristianismo nos primórdios da nação americana e as consequências experimentadas por ter sido deixado de ser praticado.

O capítulo 2 ele nos dá 4 lúcidas razões para voltarmos a praticar o cutlo doméstico: a) somos mordomos dos dons de Deus, portanto os filhos que temos são de Deus, porém estão sob nossa responsabilidade levá-los ao Senhor; b) Seu filho foi colocado em seu lar por um desígnio de Deus, precisamos reconhecer a soberania de Deus em nosso lar mas também usar todos os meios dados por Deus para alcançar nossos filhos; c) o culto familiar nos prepara para a adoração pública, o culto doméstico nos prepara para o culto público que é o ápice de nossa adoração, então os filhos entenderão que a adoração envolve toda a vida; d) o declínio espiritual de um povo – famílias e igrejas têm se amoldado ao mundo e isso tem enfraquecido os crentes.

O capítulo 3 e final nos dá instruções para iniciarmos o culto doméstico. Aqui não há dificuldade, mesmo para quem nunca praticou será possível observar as recomendações e com facilidade começar essa disciplina espiritual em sua casa. Você vai saber onde fazer o culto familiar; quando pode ser realizado; os três elementos do culto familiar: a adoração com os cânticos, com as Escrituras, com a oração; a duração do culto; como torná-lo eficaz e o culto familiar restaurado.

  1. Adoração no Lar, de Joel Beeke, publicado pela Editora Fiel

O autor, Joel Beeke, é um pastor puritano, professor, preletor internacional e autor de muitas publicações, inclusive em língua portuguesa. Ele escreve e fala de Deus com a mente, o coração e a alma puritana.

Nesse livreto, pequeno no tamanho mas gigante em conteúdo, o autor nos convida a retornarmos ao culto doméstico familiar. Mas ele não apenas nos convida como nos instrui biblicamente como realizar essa importante disciplina espiritual. O livro é composto por 5 capítulos e 2 apêndices.

O capítulo 1 discorre sobre as bases teológicas do culto doméstico e também a base bíblica do culto doméstico para a criação de filhos. Destaca a liderança do pai no culto.

O capítulo 2 fala da importância do dever do culto doméstico e divide em 3 atos especiais de adoração nas famílias: a) Pela instrução na Palavra de Deus; b) Pela oração diária a Deus; c) Pelas canções diárias de louvor.

O capítulo 3, o maior capítulo do livro, fornece instruções detalhadas e práticas para a implantação do culto doméstico de forma ideal e realista. Está dividido em duas partes: a) Preparação para o culto; b) Durante o culto. Ambos os itens contêm várias subdivisões práticas e claras das ações a serem realizadas no culto doméstico.

No capítulo 4 Beeke responde a algumas questões as quais os fiéis se opõem para iniciarem cultos domésticos em casa, entre essas objeções temos, por exemplo: a) Nossa família não tem tempo para isso; b) Nossa família é muito pequena para isso; c) Alguns dos membros da família não participarão. Bem citei alguns destaques mas tem vários outros, desculpas e dificuldades sempre haverão, mas temos que nos esforçar para superá-las.

Para compensar o capítulo anterior, no capítulo 5 Joel Beeke discorre sobre as motivações para realizarmos o culto doméstico, e ele é bom nisso! Quem sabe você poderá iniciar por esse capítulo se estiver desmotivada. Além de citar os motivos bíblicos para os pais estabelecerem o culto doméstico, o autor cita o que alguns pais da fé disseram sobre isso. Motivações: a) Bem estar dos entes queridos. Deus se comprometeu a usar meios para nossos filhos não se esquecerem das obras de Deus; b) Pela satisfação de uma boa consciência; c) Porque isso auxilia na criação dos filhos; d) Por amor a Deus e sua igreja.

O apêndice 1 é uma transcrição adaptada, para o leitor atual, das diretrizes para o culto doméstico realizada na Assembléia de Edinburgo, em 1647 com orientações para a adoração e repreensões para aqueles que negligenciam o culto.

O Apêndice 2 é uma breve história do missionário John Paton, para encorajá-la a decidir-se hoje pelo culto doméstico em seu lar. As palavras de John Paton:

“Jamais poderia explicar o quanto as orações de meu pai me impressionaram naquele momento, e nenhum estranho poderia compreender. Quando ele ficava de joelhos, com todos nós ao seu redor, durante o culto doméstico, ele derramava toda a sua alma, com lágrimas, orando para que o mundo pagão se convertesse para seguir a Jesus, e por todas as necessidades pessoais e familiares. Todos nós nos sentíamos como se estivéssemos na presença de nosso Salvador vivo, e aprendíamos a conhecê-lo e amá-lo como o nosso amigo divino.”

Por Renata Gandolfo

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail