Propósito na dor?

“Ele nos encoraja em todas as nossas aflições, para que […] possamos encorajar outros quando eles passarem por aflições.” 1Coríntios1:.4

Quando Siu Fen descobriu que tinha insuficiência renal e precisaria de diálise pelo resto da vida, pensou em desistir. Aposentada e solteira, a cristã de longa data não viu motivos para prolongar sua vida. Mas os amigos a convenceram a perseverar, a fazer diálise e a confiar que Deus a ajudaria.

Dois anos depois, sua experiência lhe foi útil ao visitar uma amiga da igreja com uma doença incapacitante. A mulher se sentia só, e poucos conseguiam de fato entender sua situação. Mas Siu Fen se identificou com a dor física e emocional e conectou-se com ela de forma pessoal. Sua própria jornada permitiu que ela caminhasse com aquela mulher, dando-lhe uma medida especial de conforto que os outros não conseguiam lhe dar, e disse: “Agora vejo que Deus ainda pode me usar”.

Pode ser difícil entender o motivo de sofrermos, porém Deus pode usar a nossa aflição de maneiras inesperadas. Quando buscamos no Senhor o consolo e o amor em meio às provações, também somos capacitados a ajudar os outros. Não é de se admirar que Paulo tenha aprendido a ver propósito no próprio sofrimento: isso lhe dava a oportunidade de receber o consolo de Deus, o qual ele poderia usar para abençoar os outros (vv.3-5). Não devemos negar a dor ou o sofrimento, mas podemos crer na capacidade divina de usá-los para o bem.

— Leslie Koh

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail